Pegas estão atacando ciclistas no Mundial

Pegas estão atacando ciclistas no Mundial

Autoestrada 21 sep. 2022 13:09 Guilherme

Bauke Mollema e Remco Evenepoel foram alguns dos ciclistas que foram atacados por pegas enquanto pedalavam na Austrália. Alguns ataques que, por outro lado, são algo a que os australianos estão habituados nesta época, no início da primavera, que coincide com a época de reprodução das pegas.

O filme de Hitchcock que os ciclistas estão vivendo no Mundial na Austrália

Qualquer bom fã de documentários com certeza conhece os perigos que a vida selvagem pode representar na Austrália, onde hoje está acontecendo o Campeonato Mundial de Ciclismo de Estrada 2022. Aranhas, cobras, tubarões, crocodilos e até os simpáticos cangurus ??são animais comuns nessas terras e que às vezes criam interações perigosas com humanos.

No entanto, uma das criaturas mais agressivas deste país raramente é mencionada e, embora seus ataques não sejam geralmente perigosos, além de causar bicadas ou arranhões em suas vítimas, foram relatados alguns casos em que chegaram a ser mortais.

Estamos falando das pegas, aves de tamanho generoso que pouco têm a ver com seus homônimos europeus, principalmente no que diz respeito à sua territorialidade e agressividade durante o período de reprodução entre os meses de agosto e novembro.

Alguns perigos que estão descobrindo os ciclistas que estão terminando seus treinos para as diferentes provas do Campeonato Mundial de Ciclismo que acontece na cidade de Wollongong, no estado de Nova Gales do Sul.

O primeiro a sofrer o ataque das pegas durante uma de suas sessões de treinamento foi Remco Evenepoel enquanto treinava no dia anterior à disputa do contrarrelógio. O recente vencedor do La Vuelta contou o episódio, descrevendo-o como aterrorizante: “Um pássaro bastante grande voou sobre minha cabeça e me seguiu. Foi aterrorizante. Espero que não volte a acontecer, mas agora estou com medo”, declarou o belga após o ocorrido.

 
 
 
Ver esta publicación en Instagram

Una publicación compartida de Bike_selfie_king (@bike_selfie_king)

O suíço Stefan Küng também declarou que um de seus companheiros de equipe teve um encontro com essas aves ou a australiana Grace Brown, que também foi assediada pelas pegas nos dias anteriores ao Mundial.

No entanto, foi o holandês Bauke Mollema quem provou que não foi invenção depois de postar um vídeo nas redes sociais em que se via uma dessas aves realizando seu típico padrão de ataque, que é mergulhar por trás de seus objetivos.

Como se isso não bastasse esta manhã, enquanto ele estava disputando o contrarrelógio por equipes mista, ele teve um novo incidente com pássaros. Nesta ocasião colidiu com uma gaivota que atravessou o seu caminho embora, para dizer a verdade, não tenha influenciado o resultado, pois o holandês estava rodando bem atrás após sofrer uma queda de corrente no início da prova.

De fato, em algumas páginas australianas que oferecem conselhos para evitar esses ataques, é recomendável pintar alguns olhos nas costas, no capacete ou na mochila para que a pega pense que está olhando e não ataque. De qualquer forma, a principal medida de prevenção é evitar as áreas de nidificação dessas aves durante os meses de reprodução, áreas que as autoridades australianas tentam sinalizar adequadamente. Também precisa ter em mente que as pegas atacam alvos em movimento rápido, como ciclistas, e que consideram como uma ameaça.

Embora os ataques geralmente não causem danos graves, em 2019 um ciclista morreu ao cair de sua bicicleta devido ao impacto causado pela pega e, em 2021, ocorreu a morte um bebê.

procurando

Newsletter

Assine a nossa newsletter e receba todas as nossas novidades. Mountain bike, conselhos sobre treinamento e manutenção de sua bike, mecânicos, entrevistas ...

Você vai estar ciente de tudo!