Vincenzo Nibali se aposenta e deixará o ciclismo profissional no final da temporada

Autoestrada 12 may. 2022 19:05 Guilherme

A chegada do Giro d'Italia em sua cidade natal foi o momento escolhido pelo tubarão para anunciar o fim de sua carreira no final da temporada.

As últimas dentadas do tubarão

Após 18 temporadas como profissional e 54 vitórias em seus títulos, entre elas as gerais das três grandes voltas, Vincenzo Nibali concluirá sua carreira esportiva no final desta temporada. O anúncio foi feito após a conclusão da 5ª etapa do Giro d'Italia que chegou a Messina, cidade onde nasceu o ciclista da Astana há 37 anos.

Uma carreira profissional que começou em 2005, quando chamou a atenção de Giancarlo Ferretti, diretor da Fassa Bortolo, graças à medalha de bronze que conquistou no contrarrelógio do mundial sub-23 disputado no ano anterior em Verona.

Fassa Bortolo concluiu o seu patrocínio no final dessa temporada, o que levou o siciliano a integrar as fileiras da Liquigas, esquadra em que permaneceria nas 6 temporadas seguintes.

Seu maior sucesso dessa etapa encontramos precisamente na Vuelta a España conquistada em 2010, aquela que foi decidida nas últimas etapas da prova, quando Nibali arrebatou a camisa vermelha de líder de Ezequiel Mosquera na inédita final da Bola do Mundo. Ele concluiu sua etapa com a Liquigas como candidato ao Tour no final da edição de 2012 atrás do todo-poderoso Sky que subiu ao pódio com Wiggins e Froome.

Temporada de ouro

A contratação pela Astana em 2013 coincidiu com a explosão do italiano, que nesse mesmo ano assinou o que seria seu primeiro Giro d'Italia, superando Rigoberto Urán e Cadel Evans.

Seria apenas o prelúdio de um 2014 em que os astros se alinhariam no Tour de France, primeiro com o abandono de Chris Froome na lembrada etapa de Pavés em que o italiano colocou tempo em todos os seus rivais e, mais tarde, com o abandono de Alberto Contador após sofrer uma queda, que deixou o caminho livre para a vitória do tubarão no grande boucle, mas não antes de nos dar exibições como a feita no alto do Hautacam.

No ano seguinte descobriríamos uma nova versão de Vincenzo. Além do especialista em voltas, ele mostrou que também poderia dar muito jogo em corridas de um dia, adicionando o primeiro monumento aos seus títulos com a vitória em Il Lombardia. Ele concluiria sua jornada na Astana no final de 2016, mas não antes de somar um segundo Giro d'Italia

Sempre na luta

Em 2017, a mudança de cenário viria após sua longa estada na Astana. Bahrain Merida seria seu destino para as próximas três temporadas, em uma temporada em que conseguiu chegar ao pódio do Giro e da Vuelta e que finalizou adicionando uma nova Il Lombardia à sua lista de triunfos.

Uma vitória que teria continuidade no início da temporada 2018 em que um tremendo ataque ao Poggio lhe permitiu vencer o Milan – San Remo, a clássica mais distante de suas características de escalador. Ele ainda tentou a sorte nos paralelepípedos do Tour de Flandres, onde teve um papel de destaque até a reta final da corrida.

Um 2º lugar no Giro d'Italia 2019 foi seu último resultado de alto nível, embora o tubarão não tenha deixado de mostrar seu estilo ofensivo em nenhum momento nas últimas temporadas em que foi membro da Trek-Segafredo para retornar a Astana em 2022, a esquadra de seus maiores sucessos.

Newsletter

Assine a nossa newsletter e receba todas as nossas novidades. Mountain bike, conselhos sobre treinamento e manutenção de sua bike, mecânicos, entrevistas ...

Você vai estar ciente de tudo!