Novas buscas no hotel Bahrain Victorius antes do início do Tour de France 2022

Autoestrada 30 jun. 2022 19:06 Guilherme

A polícia dinamarquesa revistou o hotel de Copenhague, onde a equipe do Bahrain Victorious está hospedada antes do Tour de France.

Continua a investigação sobre o Bahrain Victorious

Apenas um dia antes do início da edição de 2022 do Tour de France, no início desta manhã, a polícia dinamarquesa, a pedido da promotoria de Marselha, realizou uma nova busca no hotel onde a equipe do Bahrain Victorious está hospedada em Copenhague, onde começará amanhã o Tour.

Este é a segunda busca sofrida pelo Bahrain Victorious ao longo da semana após a visita da polícia nesta segunda-feira às casas de vários corredores da equipe e de alguns membros da comissão técnica, como o manager Milan Erzen, o médico Piotr Kosielski e o fisioterapeuta Bernabé Moulin sem que até o momento tenha disso divulgado qualquer informação sobre o que foi encontrado nas buscas ou se acusações foram feitas contra qualquer um dos membros da equipe.

Por seu lado, a equipe qualificou estas ações como uma busca para "... prejudicar intencionalmente a reputação da equipe" em clara referência a terem sido realizadas pouco antes do início da corrida com maior repercussão no calendário que é o Tour de France.

Essas batidas são a continuação da investigação iniciada pela promotoria de Marselha durante o último Tour de France por suspeitas de doping quando ordenaram a busca no hotel Bahrain Victorious em Pau, ponto de partida da 18ª etapa.

Alguns registros que vieram após o grande papel que os ciclistas do Bahrain Victorious tiveram no Critérium du Dauphiné com um estelar Mark Padun, que venceu em duas etapas às quais devemos adicionar a alcançada por Sony Colbrelli. O mesmo papel no Tour de France 2021, desta vez liderado por Matej Mohoric, que marcou duas etapas e uma terceira liderada por Dylan Teuns.

Precisamente, outra das queixas da equipe é que as autoridades não lhes deram acesso a um processo do qual vazou, no mês de outubro, que não tinham sido encontradas substâncias ilegais, embora um grande número de caixas de tizanidina, um relaxante muscular usado em pacientes com esclerose múltipla, foi encontrado e que, presumivelmente, seria usado pela equipe para melhorar a recuperação e tratar as cãibras produzidas pelo intenso esforço necessário para enfrentar as etapas do Tour de France.

De qualquer forma, não é um medicamento proibido, embora sua administração exija autorização de uso terapêutico.

Por seu lado, a equipe encerrou a sua declaração indicando que “esperam concentrar-se na maior e melhor prova de ciclismo do mundo, o Tour de France. A equipe não comentará mais sobre esse assunto. ”

Newsletter

Assine a nossa newsletter e receba todas as nossas novidades. Mountain bike, conselhos sobre treinamento e manutenção de sua bike, mecânicos, entrevistas ...

Você vai estar ciente de tudo!