Não descuide da sua alimentação treinando no frio

Nutrição 13 nov. 2021 11:11 Guilherme

Nestes dias de outono, as baixas temperaturas já estão começando a aparecer. Isso afeta não apenas nossas atividades cotidianas, mas também nossos treinamentos. E então nos perguntamos: o que posso fazer para combater o frio sobre a bicicleta além usar a roupa de inverno? Nesta nova publicação, te damos as chaves para enfrentar o frio por meio de uma alimentação adequada.

Nutrição e frio sobre a bicicleta, o que levar em consideração?

Treinar em condições de frio pode aumentar nossas necessidades de energia. A maior parte desse aumento depende se a termo regulação é capaz de manter a temperatura da pele e do tronco por meio de roupas quentes, respostas fisiológicas como vasoconstrição e redução do fluxo sanguíneo para áreas periféricas, ou produção de calor durante o exercício. Além da temperatura ambiente, fatores como sensação térmica, radiação ultravioleta e umidade podem afetar a capacidade fisiológica de manter a temperatura central em condições frias.

Quando essa exposição ao frio é intensa o suficiente para causar calafrios, as necessidades de energia aumentam, pelo menos dobrando a produção de calor metabólico para manter a temperatura central. Poucos atletas experimentam esses calafrios ao treinar com frio porque são capazes de manter a temperatura central. No entanto, se esses calafrios ocorrerem, a oxidação de carboidratos aumenta. Por este motivo, é fundamental não descuidar da ingestão destes durante os treinos e ao longo do dia, para evitar a fadiga e a consequente diminuição do rendimento decorrente do esgotamento da glicose.

Em seguida, é fundamental controlar a hidratação. É muito comum encontrar atletas desidratados, com perdas de peso corporal em torno de 3-8%, em condições de frio devido a diversos fatores:

  1. O Suor: Embora em menor quantidade do que em climas quentes, em climas frios você também transpira. E muitas vezes devido a uma má escolha de roupas (agasalhar mais do que o necessário) a perda de suor ocorre em grandes quantidades.
  2. Maior perda de água na forma de vapor de água através da respiração devido ao ambiente frio e seco.
  3. Maior geração de urina derivada da diurese induzida pelo frio.
  4. Sensação alterada de sede: Embora em condições normais não devamos ser guiados pela percepção da sede, pois ela surge quando temos um certo grau de desidratação, no frio a sensação de sede é ainda mais retardada.

A partir de 1% de desidratação já encontramos uma queda no desempenho, por isso é fundamental controlar esse fator. Isso também é fácil de determinar, medindo a taxa de suor em diferentes condições, e também é fácil de realizar bebendo líquidos de acordo com o que obtivemos dessas taxas de suor.

Então você já sabe, quando você sai de bicicleta no frio tem que se agasalhar bem, mas também tem que se lembrar de comer e beber.

Artigo escrito por José Carlos Núñez López, Graduado em Nutrição Humana e Dietética pela UGR, Mestre Oficial em Nutrição Esportiva pela UCAM e Atleta de Alto Rendimento.

Newsletter

Assine a nossa newsletter e receba todas as nossas novidades. Mountain bike, conselhos sobre treinamento e manutenção de sua bike, mecânicos, entrevistas ...

Você vai estar ciente de tudo!